15 de jun de 2010

Banda piauiense faz da música uma diversão

No THE Music também existe espaço para os que têm a música como hobby.

Muitos músicos piauienses fazem cursos, compõem canções, se juntam e tentam fazer sucesso dentro do estado e em outros lugares. Em meio ao surgimento de vários grupos musicais, há aquelas pessoas que simplesmente tocam para se sentir bem, usando a música mais como um hobby, do que como uma forma de ganhar dinheiro. Muitos são os exemplos, mas nenhuma se destaca tanto quanto a banda Duna, por ser composta por pessoas profissionalmente e economicamente estabilizadas. A banda é composta por dois médicos, um juiz federal e dois estudantes de medicina.

Formada em 1991 com forte influência do rock internacional de grupos como Iron Maiden, Kiss e Queensryche, a banda procura produzir um som diferente com o objetivo maior de fazer diversão. Diferente de alguns músicos tradicionais, os membros não vivem de música e seguem áreas opostas, que quase não permitem o lazer. Tudo começou com uma simples reunião de amigos do colégio que tinham afinidade pela música e arriscavam tocar algum instrumento. O nome do grupo foi escolhido pela afinidade com o filme de ficção científica Duna, dos anos 80. A idéia central da formação sempre foi, desde o início, tocar rock para divertimento e para outras pessoas, inclusive com músicas próprias.
Geralmente com algumas apresentações na noite, os músicos tentam agradar o público com singles conhecidas e, ao mesmo tempo, tocam para si mesmos, como forma de lazer. Como uma forma de deixar a marca registrada, a banda também expõe seus trabalhos autorais em todos os shows em que se apresentam, o que chega a ser metade do repertório. Por terem uma rotina de trabalho muito pesada, os membros não podem desfrutar da banda como um meio profissional, mas, mesmo assim, as composições de autoria própria não deixam nada a desejar quando comparadas com outras bandas do mesmo estilo, inclusive aquelas de repercussão nacional.

Segundo o guitarrista e um dos idealizadores da banda, Márcio Mendes, o Duna é uma forma de diversão para todos os integrantes. “Devido ao pouco tempo que temos, só nos dedicamos à banda nos finais de semana”, explica. Os integrantes ainda não têm planos mais sérios para a banda, apenas querem tocar para se divertir, sem nenhum teor comercial. “A gente toca por hobby, se rolar (comercializar a banda), rolou”, diz Márcio.
Mas mesmo com a “brincadeira”, o Duna tem dezenas de músicas próprias gravadas e já está preparando um álbum muito esperado pelos fãs da banda, cujo título, provavelmente será Arrakis (em homenagem ao mesmo filme que definiu o nome do grupo). Este será disponibilizado na internet para download. Em geral, as letras tratam de temas como conflitos internos, romances e algumas questões políticas e sociais. Questionado sobre a possibilidade do sucesso da banda, Márcio é taxativo: “Talvez a gente largue tudo e saia numa turnê mundial”.


Texto e Fotos: Isabel Nunes

Artigos Relacionados

0 comentários:

Postar um comentário