30 de mai de 2010

Cantar com Fé

Música religiosa cresce, atinge novos públicos e se torna cada vez mais rentável

A música cristã há algum tempo tem demonstrado ir contra o estereótipo de tradicionalismo em hinários e vozes de fiéis fervorosos. As canções feitas em honra a Jesus Cristo agora tem estilo “pop”, contornam as paradas de sucesso, dominam a indústria fonográfica e ultrapassam as barreiras de arranjos “melosos”. O padre-cantor Fábio de Melo que o diga. É um dos artistas que mais vende discos no país, reafirmando a força da música religiosa – católica e evangélica, num mercado que não conhece crise. Segundo pesquisa recente da Associação Brasileira de Produtores de Discos (ABPD), esse segmento movimenta cerca de R$ 1 bi por ano no Brasil e tem mais de 50 milhões de ouvintes em todas as classe sociais.  O judeu Líber Gadelha, presidente do selo LGK (distribuído pela Sony) revela no site da ABPD que “o mercado musical só não despencou por causa da música cristã. São eles que seguram tudo ao nosso redor”.
 
Um bom exemplo é a banda Rosa de Saron, que se destaca em ritmo e em estilo. Calças coladas, cabelos compridos com chapinha, bonés, toucas e chapéus de cowboy, brincos e até o jeito de agir permitem confundí-la com qualquer outra banda emo atual. 
Cd Aline Barros e Cia. destinado para o público infantil


Aline Barros é uma cantora gospel que não fica por baixo. Com quatro Grammy Latino, 3 milhões de discos vendidos e música-tema de novelas, agora ela investe no segmento infantil com um DVD que vendeu 25 mil cópias em apenas 30 minutos de lançamento. Nesse segmento também se destaca em nível nacional o cantor Regis Danese com o sucesso “Faz um milagre em mim”, tocado por rádios de todos os segmentos e por vários artistas.


A mensagem do Senhor tem ecoado em todos os ritmos: balada romântica, pop, reggae, samba, funk e até rock. A diversidade tem conquistado principalmente jovens e adolescentes.


Em Teresina muitos jovens são tocados e levados por essa onda, e cresce o número de bandas – principalmente nessa faixa etária – no segmento religioso/gospel. A banda católica Oz Piradinhos aparece com suas perucas coloridas, misturando ritmos e atraindo jovens com irreverência e letras descontraídas. Levam consigo o tema “a linguagem da cruz é loucura para o mundo” e buscam evangelizar em massa a juventude com essa iniciativa.

Na cidade aparecem nomes como Ikony 4 e Via Oásis, no pop rock gospel, e Quézia Marcelle  (foto) numa balada mais romântica. A jovem canta na igreja desde pequena, acompanhando os pais, e recentemente lançou seu primeiro cd, revelando que pretende, investindo em qualidade, chegar e ser reconhecida nacionalmente.


Mais profissionalismo

Os cantores desse universo também utilizam as mídias para divulgação dos seus trabalhos, explorando muito bem, por exemplo, a internet, com sites e espaços em redes sociais. “É bom destacar também que temos mais espaço na tv, jornais, revistas, portais e sites especializados, além de rádios apenas tocando o segmento gospel. Outro aspecto é que a maioria dos artistas do setor tem hoje um site que ajuda na divulgação. Essas iniciativas levam a uma exposição mais profissional” acrescenta Dallyla Maria, cantora da banda Oz Piradinhos.

Por: Renan Marques
e-mail: renanmarques@msn.com 

Artigos Relacionados

0 comentários:

Postar um comentário